Xadrez deve ser incentivado desde cedo

A história deste jogo já traz muitos motivos para incentivar seu filho aprender xadrez. Ela remete do século III a.C, tendo se disseminado a partir do século VI e se consolidado como passatempo preferido de muitos grandes homens da história antiga, como reis e brâmanes indianos, generais chineses e imperadores persas. E, por volta de 1250, o jogo se popularizou como uma metáfora para o ensino da ética e da moral. Também os antigos soviéticos incentivaram o ensino do xadrez para as grandes massas como forma de estimular o treinamento da mente. O jogo é fundamental para o desenvolvimento da mente, além de outros bons motivos. Acompanhe.

Aprender xadrez é fácil

As crianças são sempre muito receptivas à descoberta e ao conhecimento do novo. Além disso, as regras do xadrez são fixas e relativamente simples. Ou seja, existem normas de movimentação de cada tipo de peça e para algumas movimentações especiais, como o roque, a tomada en passant e a promoção de um peão. Outro ponto que facilita muito a uma criança aprender xadrez é o fato de as peças serem caracterizadas de acordo com figuras de fácil assimilação: o peão, o cavalo, o bispo, o rei, a rainha e a torre. Por isso, esse jogo pode ser iniciado até mesmo em crianças de quatro anos de idade.

As regras exercitam a mente

O xadrez é um jogo de lógica, baseado nas possibilidades de movimentação de cada uma das peças dispostas no tabuleiro. Diferentemente do jogo de damas, que é mais dinâmico, a necessidade de analisar as possíveis movimentações das diferentes peças faz com que a criança force sua própria mente na busca por jogadas que a farão atingir o objetivo, que é o xeque-mate no rei adversário. Esse estímulo, de analisar cada uma das possibilidades tentando descobrir os desdobramentos de suas jogadas e as ações do adversário, é uma excelente forma de exercitar a mente e expandir o potencial analítico do seu filho. Só é preciso lembrar que deve-se estimular a criança com exemplos e de forma lúdica, não forçando o aprendizado do jogo.

O jogo estimula a paciência

Normalmente, os pais acreditam que o xadrez é um jogo demasiado lento e que, por isso, pode estimular na criança a ansiedade pelo desenrolar das jogadas. De fato, é possível que isso aconteça – e, neste caso, pode ser que seu filho ainda não esteja no momento certo para aprender xadrez. Contudo, por ser um jogo que exige a análise de diversas possibilidades de movimentação e inúmeras outras de desdobramento de suas jogadas, a criança tende a exercitar cada vez mais a paciência e a reduzir o estresse infantil.

E isso é só possível justamente por ela precisar de mais tempo para tomar suas próprias decisões. No início, é muito comum que a criança aja no impulso. Mas, com a prática, ela perceberá que o xadrez não é uma brincadeira de batata quente, na qual é preciso passar a vez para o adversário o quanto antes.

Xadrez desperta o respeito pelo adversário

O desafio do jogo, de fato, não é chegar ao xeque-mate do rei adversário, mas sim conseguir ter um raciocínio melhor do que seu adversário para conseguir isso. Apesar desta ser uma análise profunda, a criança assimila isso com grande facilidade ao aprender xadrez e passar a praticá-lo. Esse ganho é o ponto central no desenvolvimento do respeito pelo adversário e só é conquistado conforme a criança vence e perde peças ou partidas.

A capacidade da memória é desenvolvida

Por ser um jogo de movimentações sucessivas de ambos os lados, os jogadores precisam consultar constantemente a sua memória. Isso é preciso para que possam entender o posicionamento atual das peças no tabuleiro e até mesmo recordar das movimentações e jogadas realizadas em outras partidas.

As partidas motivam a tomada de decisões

No começo, quando as crianças – principalmente as muito pequenas – ainda estão a aprender xadrez, é muito comum que adotem as chamadas “jogadas-espelho”, nas quais elas imitam exatamente os mesmos movimentos que você faz no tabuleiro. No entanto, no decorrer do jogo e com algumas leves interferências suas, elas são obrigadas a criar suas próprias jogadas e desenvolver a tomada de decisões.

A prática aumenta a habilidade de prever cenários

Conforme seu filho aprender xadrez, desenvolvendo a paciência, exercitando a mente, melhorando a memória e sendo cada vez mais capaz de tomar decisões próprias, a habilidade de prever cenários será aumentada. Com isso, todas as outras habilidades serão ainda mais potencializadas, como em um círculo virtuoso. Do tabuleiro para a vida, facilmente seu filho estará mais apto a analisar o cenário ao seu redor e prever possíveis desdobramentos, tantos dos próprios atos como dos de terceiros. E este ganho não se restringe à lógica, mas também à sua capacidade cognitiva, de perceber que algo é fruto de determinadas ações.

Fonte: Novos alunos

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *